sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Mister




Eu amo ter surpresas, e com esse livro definitivamente eu fui surpreendida. Sabem, eu conheci a escrita da E.L James em um momento bem inusitado, a minha monografia. Eu defendi sobre Crepúsculo, e por isso tive que ler Cinquenta Tons de Cinza, mas confesso que meu carinho por ela só surgiu de verdade quando ela começou a escrever a série pela perspectiva do Grey.
Mas vamos ao que interessa e sejam bem-vindos a resenha de Mister.

"Já fiz sexo vezes demais para contar, mas nunca me senti tão conectado. É um sentimento estranho e perturbador, assim como minha necessidade por mais."
Maxim é um inglês de 28 anos que sempre teve tudo nas mãos, filho do 11º Conde de Treverthick, ele era apenas o reserva para o condado de Trevelyan, isso até a morte prematura de seu irmão Kit, assim o tornando o 13º Conde de Treverthick.  Mas em meio há um título e todas as obrigações que ele acarreta, o que ronda a mente de  Maxim são questões como: Como ser útil quando me sinto vazio? Como ser o protagonista, quando sempre fui o reserva? Como seguir?
E é em meio a esse furacão de pensamentos que uma melodia vinda de seu  piano o faz começar a ver que a vida pode sim voltar aos eixos.
Alessia Demachi é uma garota de 23 anos, albanesa, e que partiu em busca do famoso “sonho americano”. Mas ao contrario do que esperava, ela se vê em um imenso pesadelo, onde sobreviver e se tornar imperceptível é tudo que resta pra ela. Bem, até ela começar a trabalhar como diarista na casa de um tal “Conde bonitão que tem um piano imenso...”
O romance entre os dois não começa imediatamente. Ambos são seres completamente opostos: Ele é um homem rico e ela a diarista da sua casa. A única ligação que ambos parecem ter é a música, ela toca piano desde pequena, ele toca inúmeros instrumentos e é esse amor pela música que mudará vida dos dois...
Alessia vê naquele apartamento imenso, sua rota de fuga, seu único momento feliz, sua música e seu homem - ou melhor, o homem que ela sonha ser seu, mas que acha impossível.
Do outro lado Maxim, começa a ser um cara que espera por uma mulher, não o que escolhe a que mais te agrada. Mas como assim? A vida dele sempre foi escolher com quem dormir e só, e agora ele se vê em uma situação que só observa-la ele se sente feliz, não satisfeito, porém mais encantado com a vida.
Com temas intensos como tráfico de mulheres, luto, solidão, esperança, amor e é claro, muita música. "Mister" é o típico livro que consegue te prender do inicio ao fim. E devo confessar que foi uma obra que me deixou bem surpresa. A escrita da autora E.L James evoluiu de uma forma incrível, onde temos riqueza de detalhes em certos momentos, que mostram quão profundo foi o estudo antes de estruturar essa obra. Mas nem tudo são flores, não é? Após o plot twist, a autora deu uma pisada no acelerador que confesso, me deixou atordoada.
A leitura desse livro foi muito gostosa no todo, e até mesmo seu final, por mais que minha amiga não tenham gostado, porque pra mim foi como o final de um filme ou série, que finalizou bem, mas com um ar de que coisas boas virão para o casal. Então curti, sim!
Então meu conselho para os que gostam de um romance, com treta e cenas quentes e não com outra ordem, leiam e venham me contar o que acharam, principalmente do final.
Ah, mas antes de finalizar eu tenho um aviso importante, não venham ler Mister procurando pelo Christian, Maxim tem alguns traços similares ao do Grey, mas ele não é o nosso Cinquenta tons ok?
Boa leitura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário