sexta-feira, 12 de junho de 2020

Todas as suas Imperfeições




Quinn e Graham são só circunstancias, eles se conhecem no pior dia da vida deles, mas que inesperadamente acaba se tornando o melhor. Os dois estão sendo traídos por seus respectivos parceiros. Ela descobre a traição do noivo, ele descobre a traição da sua, até então, namorada. E é naquele momento de dor, raiva e frustração em frente ao apartamento onde o casal em questão está, que se abrem dois biscoitinhos da sorte com uma frase que impacta.

“Se você iluminar apenas as suas imperfeições, todas as suas qualidades ficarão na sombra.”

De primeira ninguém da tanta importancia para essa ‘sorte’ e cada um segue com a sua vida. Mas o mundo é redondo e quando é para acontecer simplesmente acontece. Eles se reencontram, e é impossível negar o que sentem e a forma como sentem.

Amor é simples, é sempre assustador, mas é impossível de se fugir dele. E é por isso que eles embarcam nesse amor, louco e lindo que se torna um casamento ainda mais lindo, mas nem tudo são flores sempre e é disso que vamos falar aqui.

Colleen Hoover aborda nesse livro um tema que tem muita força: As dificuldades de se ter um bebê e a infertilidade. Esse é um tema que pra mim não é dos mais fáceis, não sou uma pessoa que recebeu notícias doces na vida quanto as minhas chances de ter um bebê, e como a Quinn, esse sempre foi um dos meus maiores sonhos. Durante as páginas eu me identifiquei muito com a dor daquela mulher, a garota que sempre idealizou a família dos sonhos, que sempre quis vários filhos e um casamento perfeito. Eu assim como ela, me casei e sonhava em ter filhos um dia, mas nem sempre as notícias boas vêm. E o problema é que normalmente não estamos prontos para lidar com as notícias ruins.

De forma intercalada, vemos o passado e o presente do relacionamento dos dois, o primeiro beijo, a primeira transa, o primeiro eu te amo, o primeiro passo de tudo. Mas também somos apresentados a muitos momentos difíceis, a primeira negativa médica, a primeira lágrima derramada, o primeiro embate, as primeiras decepções por não conseguir o que sonhavam, a primeira ruptura, a segunda e tantas outras que esse casamento passa.

Mas foi exatamente por isso que esse livro foi tão intenso e importante, porque ele é tão real, sabem? Muitos casais passam por isso todos os dias, mas cada uma lida com a situação de uma forma. Uns desistem, uns lutam como podem, uns continuam juntos, mas há um oceano de distância. Cada um com sua particularidade. E isso não é fraqueza, é humanidade. E foi por isso que amei tanto esse livro e me emocionei tanto.

Não vou abrir aqui o desfecho do livro, porque eu estragaria o impacto e a importância que ele tem e traz. Mas preciso dizer que o amor que eles têm um pelo outro é lindo e ao mesmo tempo doloroso. Porque por vezes você se pega querendo abraça-los e ao mesmo tempo tem vontade de sacudir os dois dizendo que dá pra continuar sim. O amor dói as vezes, os sonhos as vezes nos frustram, mas cabe somente a nós decidirmos se vamos seguir em frente ou não. Se vamos somente enxergar os problemas, as imperfeições do mundo ou se vamos aprender com elas e viver.

A primeira vez que eu peguei nesse livro, eu não estava em um bom momento, eu não estava pronta pra ele e por isso tive que parar de ler e buscar um colo em outro livro. Há poucos dias, decidi que estava pronta e com saudade do Graham e da Quinn e que eles precisavam de um abraço, mas eu achava que somente eu daria esse abraço, eu não imaginava que também receberia um de volta, e isso foi o que mais me tocou nessa história. O abraço, o carinho, o amor ali partilhados nas páginas. E isso sim, vale mais que muita coisa.



Nenhum comentário:

Postar um comentário